Search
Close this search box.

Mineira com doença rara passa por atendimento em Alfenas

0
COMPARTILHAMENTOS
848
VISUALIZAÇÕES

Carolina Arruda, de 27 anos, vai testar mais dois procedimentos médicos para tratar a neuralgia do trigêmeo, disfunção que causa uma dor crônica considerada a pior do mundo. Ainda neste mês, a jovem vai a uma consulta na Clínica da Dor da Santa Casa de Alfenas e depois passará por atendimento com o neurologista Wellerson Sabat e com uma equipe da Argentina para testar uma nova técnica, possivelmente cirúrgica.

📱Participe do Canal Portal Onda Sul no WhatsApp

Após repercussão do caso nas redes sociais, o Diretor Clínico da Santa Casa de Alfenas (MG) e presidente da Sociedade Brasileira para os Estudos da Dor (SBED), Dr. Carlos Marcelo de Barros, médico Anestesiologista com área de atuação em Dor e Medicina Paliativa, convidou a paciente para um tratamento e assim tentar amenizar sua dor e evitar a eutanásia.

“Estou na Santa Casa de Alfenas, estou internada. O médico Dr. Carlos Marcelo (de Barros) é anestesiologista e oncologista, ele me internou para poder fazer o controle da dor do meu caso. A gente vai fazer a internação e o processo de ‘reiniciar’ o cérebro tomando vários medicamentos, ficando anestesiada vários dias para tornar mais fácil o tratamento para dor depois. Então, é um instrumento para tratar a dor esse aqui. Eu também tenho consulta com a minha neurologista na próxima semana e também estou sendo acompanhada por médicos prescritores de cannabis”, explicou Carolina, minutos antes de iniciar o procedimento no hospital. A jovem toma remédios a base de canabinol para diminuir as dores, que ela descreve como “choques elétricos” na face.

Carolina lançou um campanha de arrecadação online para poder arcar com os custos de uma eutanásia na instituição Dignitas, na Suíça, que é um dos poucos locais do mundo que oferece essa opção para pessoas com doenças incuráveis e debilitantes. Desde o lançamento da vaquinha, no início deste mês, a mineira já arrecadou mais de R$ 120 mil — a meta é conseguir R$ 150 mil.

A jovem foi diagnosticada com a neuralgia do trigêmeo há 11 anos. Desde então, ela passou por diversos tratamentos e cirurgias na tentativa de encontrar alívio para as dores que sente.

O que é neuralgia do trigêmeo?

A neuralgia do trigêmeo é uma dor facial paroxística grave e lancinante, decorrente de distúrbio no V par craniano. O diagnóstico é clínico. O tratamento costuma ser com carbamazepina ou gabapentina; às vezes, há necessidade de cirurgia.

Neuralgia trigeminal geralmente é causada por

  • Compressão do nervo trigêmeo em sua raiz por uma alça aberrante de uma artéria intracraniana (p. ex., artéria cerebelar inferior anterior, artéria basilar ectásica)

  • Menos frequentemente, compressão da raiz do 5º par craniano (trigêmeo) no local onde este adentra o tronco encefálico

Outras causas menos comuns são compressão por tumor, má-formação arteriovenosa, aneurisma e, às vezes, placa de esclerose múltipla na zona de entrada da raiz (em geral, em pacientes mais jovens), mas essas causas costumam ser diferenciadas pela presença de perda sensorial e outros deficits associados.

Outros distúrbios que causam sintomas similares (p. ex., esclerose múltipla) algumas vezes são considerados neuralgia do trigêmeo e, em outras ocasiões, não. O importante é reconhecer a causa.

O mecanismo não é claro. Uma teoria sugere que a compressão do nervo causa desmielinização local, que pode resultar em geração de impulso ectópico (transmissão efáptica) e/ou desinibição das vias centrais da dor envolvendo o núcleo espinal do trigêmeo.

Receba as notícias através do grupo oficial do jornalismo da Onda Sul no seu WhatsApp. Não se preocupe, somente nossos administradores poderão fazer publicações, evitando assim conteúdos impróprios e inadequados. Clique no link –> https://chat.whatsapp.com/G42MsF9LiiPILoe68hzHB4

Fontes: Jornal Folha Regional, Folha de São Paulo e Correio Braziliense
×