Search
Close this search box.

Saiba como calcular a depreciação de um inquilino em seu apartamento

0
COMPARTILHAMENTOS
28
VISUALIZAÇÕES

Muitos não sabem, mas o aluguel de apartamento em Belo Horizonte não se limita simplesmente ao recebimento do aluguel todo mês.

Existe um fator chamado depreciação, a qual acontece ao longo do período de locação, que pode ter uma influência no valor do imóvel, consequentemente, comprometer a vida financeira do proprietário.

Continue a leitura e entenda em detalhes o que é depreciação e seu impacto financeiro.

📱Participe do Canal Portal Onda Sul no WhatsApp

Entendendo a depreciação

A depreciação nada mais é do que a perda do valor real do apartamento, que geralmente está associada ao uso, a deterioração natural ou se é preciso fazer algum tipo de obra.

No caso de um apartamento alugado, vários fatores podem contribuir para essa perda de valor, como a própria idade do imóvel, os cuidados do inquilino e o padrão da construção.

Então, para realizar o cálculo da depreciação, existe uma fórmula simples: basta dividir o valor inicial do imóvel pela quantidade de anos de durabilidade estimada.

Na verdade, esse método não é 100% preciso, no entanto, é uma forma de ter uma ideia geral da depreciação.

Fatores que afetam a depreciação

  • Manutenção do imóvel: Realizar a manutenção periódica do apartamento para alugar pode ajudar a diminuir a depreciação. Para isso, sempre que houver um problema, deve ser reparado o mais rapidamente possível;
  • Comportamento do inquilino: Inquilinos que têm um cuidado com o apartamento também contribui para menor depreciação. Por outro lado, inquilinos descuidados e que deixam tudo para depois pode acarretar avarias no imóvel e precisar fazer reparos emergenciais;
  • Idade do imóvel: A tendência é que apartamentos mais antigos se depreciem mais rápido especialmente em razão da deterioração dos materiais e tecnologias ultrapassadas. Por sua vez, imóveis novos apresentam uma depreciação mais baixa, porém, com o passar dos anos, há uma perda de valor.

Diferentes tipos de depreciação

Depreciação física: está associada à deterioração que ocorre devido ao tempo e uso, como por exemplo, uma parede que descasca ou um azulejo da cozinha que quebra;

Depreciação funcional: refere-se quando o apartamento para alugar já não atende às necessidades atuais dos inquilinos, como não ter uma quantidade suficiente de tomadas ou não ser possível instalar um ar-condicionado sprinter;

Depreciação econômica: nesse caso, são os fatores externos, tais como mudanças no mercado de imóveis ou problemas de segurança na região, podendo impactar no valor do imóvel.

Como realizar o cálculo?

Vamos imaginar que o valor de um apartamento anunciado para alugar seja R$ 300.000, e que sua vida útil seja estimada em 30 anos.

Usando o cálculo mencionado acima, para se ter uma ideia da desvalorização, é só dividir o preço do apartamento pelo número de anos:

R$ 300.000 / 30 anos = R$ 10.000 por ano

Portanto, o resultado aponta uma perda de valor de R$ 10.000 por ano por conta da depreciação.

Dessa forma, é possível ter uma noção da desvalorização do imóvel ao longo do tempo.

Impacto financeiro da depreciação

Ao contrário do que muitos pensam, a depreciação não influencia somente o valor de venda do imóvel, mas também de quanto será o valor do aluguel.

Um apartamento para locação que apresenta uma alta taxa de depreciação pode justificar um valor de aluguel mais barato, e vice-versa.

Na verdade, entender como funciona o processo depreciação pode ser útil para proprietário para pensar no que precisa fazer para evitar essa perda de valor, pois assim poderia alugar por um preço mais alto.

Receba as notícias através do grupo oficial do jornalismo da Onda Sul no seu WhatsApp. Não se preocupe, somente nossos administradores poderão fazer publicações, evitando assim conteúdos impróprios e inadequados. Clique no link –> https://chat.whatsapp.com/G42MsF9LiiPILoe68hzHB4

×