Search
Close this search box.

UEMG de Passos recebe 10 milhões para investimentos

0
COMPARTILHAMENTOS
1
VISUALIZAÇÕES
O Governo de Minas deve investir cerca R$10 milhões em obras e serviços de manutenção nos imóveis na Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) em Passos. O início das obras deve ocorrer no mês de fevereiro, aguardando apenas ajustes finais.
Segundo informações da universidade, o processo de licitação já está e os contratos foram publicados no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais. Três empresas especializadas venceram a concorrência, sendo uma para reformas no bloco 5, Centro Integrado de Recreação e Esporte (Cire), outra no bloco 7, Fazenda Experimental, e a terceira nos demais blocos. Em 2022, o governo disponibilizou R$12 milhões o investimento, mas, como a licitação previa oferta de menor preço, houve economia de R$2 milhões.
O vice-diretor da unidade acadêmica de Passos, Vinícius de Abreu D’Ávila, que também responde pela parte administrativa, disse que a licitação não prevê nenhuma obra de construção.
“Em todos os nove blocos teremos melhoria de infraestrutura, com exceção de três que são locados e receberão apenas pintura externa e interna. A prioridade é a manutenção predial de acessibilidade, estética e funcionalidade. Serão realizadas também readequações, como uma pista de atletismo nos locais das piscinas arredondadas e do antigo tobogã no antigo Cire, que faz parte do bloco 5. Vai permanecer apenas a piscina semiolímpica para uso dos universitários do curso de educação física”, afirmou.
Na mesma área, que fica no Jardim Eldorado, estão localizadas as sedes dos cursos de engenharias, Ambiental, Civil e de Produção; Agronomia, Educação Física (licenciatura/bacharelado), Física, Matemática, Sistema de Informação, Administração, Ciências Contábeis, Direito, Gestão Comercial e Serviço Social. Ainda sobre o Cire, Vinícius contou que as dependências esportivas como campos de futebol society, quadras de tênis, poliesportivas descobertas e a cantina também serão reformados.
“O local, antes da incorporação pela Uemg, era destinado à recreação popular, mas de alguns anos para cá se tornou educacional, mas nada impede que a comunidade possa utilizar alguma dependência da área, desde que oficializada a solicitação prévia. Temos recebido reclamações quanto a falta de manutenção, mas, na verdade, o tempo chuvoso provoca o crescimento rápido da vegetação, mas em breve todos os problemas serão solucionados com o início das obras de revitalização”, afirmou o diretor.
Fonte: Clic Folha
×